Fome e a vontade de comer: diferenças

0

A fome e a vontade de comer: diferenças principais estão relacionadas a quê? Talvez, a melhor pergunta aqui seja: como eu descubro isso na prática? O motivo para a falha de muitas dietas, ou de processos de educação alimentar, é o desconhecimento sobre as diferenças de fome e vontade de comer.

Vivemos em uma sociedade onde o ato de comer vai muito além da alimentação e, por isso, é tão importante colocar cada uma em seu lugar. Entre a fome e a vontade de comer: diferenças que podem fazer a diferença estão ligadas ao conhecimento de nossa mente, que é o primeiro passo na jornada para uma vida realmente saudável.

Com tanta oferta de alimentos saborosos, cheios de açúcar, fritura e gorduras, que literalmente invadem as telas dos celulares, computadores e TV, é cada vez mais difícil resistir à vontade de comer. Pior ainda é quando a vontade de ter uma refeição gostosa se torna em compulsão alimentar.

Portanto veja a seguir o que é a fome e a vontade de comer: diferenças que podem mudar sua vida para melhor quando identificadas.

A fome e a vontade de comer: diferenças

Dentre as diferenças de fome e vontade de comer há uma crucial: a fome representa uma resposta fisiológica do organismo. É o nosso corpo que sinaliza para a falta de energia e necessidade de nutrição das células. Já a vontade de comer é uma resposta a algum estímulo externo, como um cheiro ou imagem, ou, até mesmo, um fator emocional.

A fome e a vontade de comer diferenças
Fonte/Reprodução: original

Logo, diferenças de fome e vontade de comer estão ligadas às necessidades do organismo versus resposta a outros estímulos.

O que é a fome?

O jejum prolongado causa reações fisiológicas em nosso corpo. É o momento no qual há uma baixa de energia e a taxa de glicose também sofre queda. Nessa hora, todo o organismo se mobiliza para sinalizar que é necessário comer.

Como funciona a fome?

Em nosso organismo, as diferenças de fome e vontade de comer podem ser identificadas, pois quando o corpo libera mais grelina, que é um hormônio, o qual causa uma série de reações que atuam como um sinal que aponta para a necessidade de nutrir e energizar o corpo, sentimos fome.

É um processo que envolve nossa sobrevivência. Com a grelina há um aumento de apetite, das contrações gastrointestinais, além da possível tontura, enjoo e desconforto em geral. Ao comer, o ser humano libera a leptina, que age de forma contrária e sinaliza a saciedade.

Como se define a vontade de comer?

A vontade de comer pode até gerar alguns sinais que parecem ser fome, como o mau humor e o desconforto, mas essa resposta é emocional, não fisiológica. Isso significa que nesse momento o corpo não precisa de energia, isto é, alimento.

Como se define a vontade de comer
Fonte/Reprodução: original

A vontade de comer pode ser considerada uma fome “falsa” .

Desejos alimentares

Uma das diferenças de fome e vontade de comer é que os desejos alimentares são despertados por estímulos externos. Um desejo pode nascer ao sentir o cheiro de um almoço em meio ao preparo ou de um bolo no forno. Mas também podem surgir situações, como a ida a um restaurante ou mesmo ansiedade.

Hoje em dia, o principal fator que desperta desejos alimentares é a disseminação de imagens, especialmente nas propagandas e na internet. Ver comidas tão bem feitas, tão bem fotografadas e filmadas o tempo todo faz o desejo alimentar crescer com cada vez mais frequência.

Compulsão alimentar

Entender as diferenças de fome e vontade de comer pode ser um aliado para evitar a compulsão alimentar, que é lado problemático da vontade excessiva de comer. Como seu nome sugere, a compulsão retrata um episódio descontrolado, onde uma pessoa sente-se compelida a comer, sem ter fome. Na maioria dos casos, a compulsão alimentar produz ocasiões onde se come muita quantidade e com pouquíssimos nutrientes.

Alimentos cheios de carboidratos refinados, gordura, açúcar, temperos artificiais e conservantes são pobres de fibras, proteínas, vitaminas, e por isso são absorvidos rapidamente. Com isso, a sensação de saciedade não dura muito.

Além do mais, os cientistas já descobriram que esses alimentos processados “viciam” o ser humano. São nocivos e só pioram a vida de quem sofre de compulsão alimentar, pois uma das diferenças de fome e vontade de comer é que no segundo caso a vontade costuma ser de comer esse tipo de alimento.

Conclusão

Conhecer a fundo diferenças de fome e vontade de comer e tudo mais tem a ver com conhecer a si mesmo. É uma questão de entender quais são os gatilhos emocionais que levam ao desejo, além de trazer equilíbrio na alimentação diária.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy